“A timidez é uma condição alheia ao coração, uma categoria, uma dimensão que desemboca na solidão.”
Pablo Neruda

 

Como saber se a timidez é um problema que pode ser tratado?

 Identificamos a timidez pelo desconforto e inibições que as pessoas apresentam em seus comportamentos quando estão diante de outras pessoas. Esta passa a ser um transtorno que merece atenção e tratamento quando começa a causar prejuízos!

A ansiedade social é necessária para nos prepararmos para determinadas situações; por exemplo, um encontro amoroso, uma entrevista de trabalho, uma apresentação em público.

Esta ansiedade é que irá motivar um conjunto de comportamentos, como estudar, me arrumar, avaliar o ambiente. No entanto, ela não deve gerar respostas como pensamentos antecipatórios excessivos, reações físicas, tais como, “vermelhidão no rosto”, suor, tremores, fala tremida, taquicardia e culminar com a evitação e paralisação.

 

05_timidezComo se sente uma pessoa com Transtorno de Ansiedade Social?

O fóbico social possui um medo enorme de se sentir o centro das atenções, de agir de forma inadequada, de estar sendo permanentemente observado negativamente.

Na maioria das vezes, o medo e a ansiedade começam muito tempo antes do evento social ocorrer e são desencadeados pela expectativa que o indivíduo tem de vivenciá-lo, gerando uma preocupação excessiva do seu desempenho.

É frequente aparecerem reações como rubor facial e tremor, o que agrava ainda mais a sensação de avaliação negativa, iniciando um ciclo.

Além disso, é comum a baixa autoestima e medo intenso da rejeição, gerando grande sofrimento.

 

É frequente pessoas com este transtorno?

A prevalência é de cerca de 5-13%. Ou seja, é muito frequente!

Geralmente, se inicia na adolescência e, se não for tratada, perdura por toda a vida. Esconder os sintomas por vergonha só aumenta o problema, pois atrasa o início do tratamento, que será mais eficaz quanto mais cedo for estabelecido e seguido pelo paciente.

É mais comum em mulheres do que homens.

 

Quais os prejuízos se não for tratada?

Essas pessoas experimentam uma diminuição da qualidade de vida, abandono escolar precoce, falta de habilidades sociais, insatisfação nos relacionamentos com amigos e lazer, alta taxa de desemprego, com menores salários e chances de crescimento, baixa frequência em universidades e, em casos mais graves, o sujeito acaba se isolando socialmente.

É comumente associado a outras doenças como depressão, pânico e abuso de álcool/drogas. Ao usar substâncias psicoativas, como bebida alcoólica, o fóbico social se sente mais a vontade e tende a recorrer a este recurso.

 

Quais as causas do Transtorno de Ansiedade Social?

Não existe uma causa determinada, é o resultado das interações dos fatores genéticos, biológicos, psicológicos, cognitivos, comportamentais e psicodinâmicos.

É influenciada pelo nosso temperamento (herança genética) e as nossas vivências acumuladas desde a infância.

 

Como é o tratamento?

O transtorno é possível de ser superado com combinação de medicação adequada e psicoterapia de linha cognitivo-comportamental (TCC).

As medicações ajudam a controlar a ansiedade exacerbada, especialmente aquelas mais intensas que se manifestam como os ataques de pânico. Isso facilita de forma decisiva para que as pessoas possam ser capazes de enfrentar as situações temidas e evitadas.

A terapia visa mudar as crenças errôneas que o fóbico social tem de si mesmo, o auxilia a enfrentar as situações que causam ansiedade, bem como, o “treina” em adquirir um melhor desempenho social.